Devocionais para não devotos XXV

“Todos os dias quando acordo…” E não é que o “chato” do Renato Russo estava certíssimo? Não temos um tempo próprio além daquele em que estamos inseridos. Buscar viver só para si não produzirá uma instância particular, uma bolha espaço-tempo onde posso produzir e experimentar à vontade, ad aeternum, sem arcar com as consequências por mais que a ideia me seja agradável!

Amanheci sozinho, na cama um vazio, meu coração que se foi, sem dizer se voltava depois, sofrimento meu, não vou aguentar, se a mulher que eu nasci pra viver, não me quer mais. *

Hoje foi difícil acordar, viu? Ahhhh! Vocês já olharam a quantidade de gente criativa que existe no mundo unicamente para criar expectativas irrealizáveis nos outros? Na verdade, uma outra boa dica para hoje é que a parte que me falta é completada quando sou a minha parte primeiro e de mais alguém simultaneamente. Rapaz! Isso é completitude e alteridade pura! Para manter a memória acesa vou citar alguma coisa. Lá vai, uma de Albert Einstein:

A percepção do desconhecido é a mais fascinante das experiências. O homem que não tem os olhos abertos para o misterioso passará pela vida sem ver nada.

É a coisa mais misteriosa que existe: a verdade; não esta verdade relativa e adequada a mim, mas a absoluta. Isto porque se ela é mostrada todo dia, ela nos devasta, nos causa raiva, e é preciso ter calma para aceitá-la também. Nada feito com verdade dá certo no tempo errado. Por isso a mentira grassa, porque apesar do desgaste, mentir prolonga um pouco mais as relações até o inescapável ponto de ruptura. Mais uma citação para vocês:

“Porque a verdade gera o ódio? Por que é que os homens têm como inimigo aquele que prega a verdade, se amam a vida feliz, que não é mais que a alegria vinda da verdade (gaudium de veritate)? Talvez por amarem de tal modo a verdade que todos os que amam outra coisa querem que o que amam sejam verdade. Como não querem ser enganados, não se querem convencer de que estão no erro. Assim, odeiam a verdade, por causa daquilo que amam em vez da verdade. Amam-na quando os ilumina, e odeiam-na quando os repreende.” (Sto. Agostinho, Confissões, Livro X, 23, 34)

É por isso que perdemos tempo demais olhando os bastidores da vida alheia quando deveríamos estar protagonizando a própria (e tão efêmera!) existência? Quando deveríamos viver uma vida real plena de excelência estamos existindo apenas em conformidade com as “necessidades” de ajustamento ao senso comum e midiático desses tempos pós-modernos, e, pior ainda, estamos moldando nossos jardins de maneira a ter o tom da grama do vizinho, que como todos sabem, é sempre mais verde! Parece que existimos para estar sempre em busca de um sentido, sentido este que na prática seria ordenador, entretanto não o queremos assim, pois gostamos mesmo é de olhar o mundo através de telas e janelas eletrônicas, onde preferimos curtir sem realizar, podemos julgar sem experimentar ou entender, onde a maior janela está diante de nós oferecendo ação in loco e uma oportunidade de exercermos nossa personalidade, de manifestarmos um caráter capaz de influenciar, buscar o bem, praticar uma virtude, ser aprimorado, mas que é ignorado e rejeitado por uma causa simples: Não queremos perder tempo de jeito nenhum. Nem mesmo para pensar. Fazer escolhas? Muito menos. Queremos o gabarito da vida porque não queremos ficar de fora e um clique não custa nada. Então viva os layouts prontos! Copiemos o modelo social de sucesso! Hashtag Somos todos default. Não se preocupe com sua essência foque na aparência, naquilo que é mais confortável. Mas como seria viver se parássemos um pouco para pensar sobre o assunto? (Podem dizer que a cafeína me deixou prolixo também, tudo bem.)

Talvez para fugir disso você tenha que vencer por excelência da verdade, que é o seu esforço para se adequar a um pensamento maior ou melhor que o seu, devendo com isso chamar para si a responsabilidade pertencente a todo indivíduo livre, para poder ver o problema de forma honesta e pensar soluções sendo corajosos. O famoso “dê o melhor de si sempre e cresça”. Porque se você é um sonhador, você é um lutador também! Saiba de uma coisa, se você não desistir será a cada dia melhorado. Quem sonha, quem acredita e quem luta sabe fazer acontecer, e faz acontecer! E mesmo com medo segue em frente, porque quando o medo bate, vai com medo mesmo assim. Mas lembre-se disso: se você colocar muitas expectativas nas coisas e elas não fluírem, você acabará tomando decisões erradas apenas para poder suprir essas expectativas! Cuidado com esta atitude equivocada!

“Quando tudo nos parece dar errado acontecem coisas boas que não teriam acontecido se tudo tivesse dado certo”. O redundante Renato Russo de novo!

*https://www.vagalume.com.br/roupa-nova/volta-pra-mim.html

Sobre lucaspinduca

I'm part cultural voyeur mixed with a splash of aspiring behavioral scientist and wannabe motivational Christian speaker.
Esse post foi publicado em comportamento, Pessoal, Sem categoria e marcado , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.